sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Triste Palhaço..


Alimento- me de sorrisos
Alegro-me com aplausos
Liberto-me com peripécias
Sou escravo do riso.

No rosto colorido
No corpo roupa surrada
Meu coração por vezes sofrido
Por falta da minha amada

Doce nobre bailarina
Que um dia me abandonou
E eu aqui o Palhaço
Que sempre te amou.

Espero que um dia voltes
Para comigo continuar
Este espetáculo da vida
O circo não pode parar

Meu coração amolecido
De um palhaço apaixonado
Pela doce bailarina
Que nem sequer deixou recado.

Peço-te um favor
Que seja de coração
Se um dia ver a bailarina
Diga que a amo de paixão
E que se possível for eu suplico
Peça para que voltes ao meu circo.

Assim poderei voltar a sorrir
Meu rosto colorir
Fazer palhaçadas
Para você voltar a me aplaudir.
(Fabio Farak)

4 comentários:

  1. Engraçado que Maát, mandou o texto MEU ANJO que esta no Blog do Camaleão, por causa do seu texto de ontem, e aí de certa forma vc publica hoje o palhaço, Uma Deusa procurando o seu anjo e o palhaço procurando a sua bailarina, estamos em constante aprendizado, em constante evolução, e uma das coisas que faz parte disso tudo é a nossa procura pela pessoa que vai nos completar por algum tempo ou eternamente... Que possamos todos encontrar nosso anjo ou nossa bailarina... como sempre um lindo texto Farak. Bjão se cuide e não deixe de nos presentear com coisas belas.

    ResponderExcluir
  2. muito belo teu trabalho fiquei maravilhado com o que li, a dei-me a luxúria de recitar teu poema a minha bailarina

    Gabriell de Minno (http://gabrielluniaodastribos.blogspot.com/)

    ResponderExcluir
  3. Sou bailarina e fiquei maravilhada com o que li, espero que em algum lugar do mundo tenha um "palhaço" feliz a me esperar!!!

    ResponderExcluir